Sim, Está no Gibi: Heróis

Todos já viram a nova campanha da Coca-Cola intitulada Heróis?

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=Un33lFoDTRk]

Parte da premissa de resgatar o herói que apreciamos quando criança e trazer suas virtudes para a fase adulta. Parece simples, beira a comédia ver mulheres e homens marmanjos fantasiados no seu dia-a-dia, mas... sabe de uma coisa? Eu achei uma idéia fantástica!!! Porque se é verdade que sempre carregamos conosco uma parte da criança que fomos um dia, em algum lugar do passado ficou um resquício de esperança que já tivemos, de altruísmo e desprendimento, da crença de que fazer o bem ao próximo compensa.

E isso aprendemos nas estórias destes personagens icônicos que tanto permearam nossa imaginação e, alguns podem dizer, até hoje continuam influenciando.

Eu sou uma destas pessoas.

Meu pai (que também é meu herói, só que de carne e osso) gostava de ler gibis e colecionava-os desde os 20 anos de idade. Sempre preocupado em desenvolver meu gosto pela leitura, me fazia acompanhá-lo depois do mercado de sábado para uma visita à banca de revista, onde eu via com curiosidade aquelas revistas coloridas e muito chamativas para um garoto de 6 anos.

Vez ou outra ele me pedia o favor de ajudar a contar e colocar na ordem numérica a sua coleção – na verdade eu pouco ajudava, ficava mesmo vidrado nos desenhos! Ele já tinha terminado a contagem e eu estava folheando as páginas, sempre perguntando “quem era esse ou aquele personagem” e “o que ele diz aqui?”. Quadrinhos foram a partir daí um incentivo para eu começar a ler rápido! Pois eu chegava das aulas louco para terminar os deveres de casa e “silabar” o que aprendia nas revistinhas. Deu certo e antes mesmo de eu concluir a alfabetização na época, já tinha lido meu primeiro gibi POR INTEIRO: Homem- Aranha n75, da antiga editora Abril (Setembro de 1987).

Tão importante que era, e tão feliz eu fiquei, que tenho logicamente este exemplar num lugar de destaque da minha coleção! A partir daí eu ganhei gosto pela leitura em geral, anos depois assumi a coleção quando meu pai parou, e me tornei um verdadeiro apaixonado pela nona arte.

E aqueles personagens que eu lia, brincava e incorporava foram ajudando a moldar a criança no adulto de hoje, de forma que é impossível negar que “com grandes poderes vem grandes responsabilidades”. Ou que os X-Men me ajudaram a quebrar as diferenças sociais, porque somos todos da mesma espécie. Que mesmo quando Superman ajudava a salvar seu pior inimigo, mesmo sem eu entender a princípio (confesso), fui aprendendo que eu não seria bom o bastante enquanto me alegrasse vendo alguém sofrer. Bem como lembro as palavras de Wolverine que ecoavam na minha cabeça toda vez que eu sentia medo diante de um desafio, dizendo “sou melhor naquilo que eu faço!”. Quer incentivo melhor?!

Sabe, a gente pode até crescer, mas os valores que REALMENTE aprendemos e praticamos, esses não mudam com a idade. Eles estão apenas à espera de o super-herói que reside em você largar o disfarce e vir à tona para fazer o bem mais uma vez.

E você? Qual super-herói ou personagem em quadrinhos com o qual mais se identifica?

Ir para o topo