Reclamo sim, e tô vivendo - Pequenos sonhos de consumo que alegram nossas vidas

E quando eu falo em pequenos sonhos, são pequenos mesmo. Do tipo que se pode encontrar em supermercado.

Batata Pringles 

A última vez que eu me lembrava ter comido Pringles devia ser quando tinha uns dez, onze anos. Se bem que as minhas lembranças são um pouco turvas e eu posso estar enganada. O que importa é que faz tempo.

Quando comecei a fazer compras all by myself, essas benditas batatinhas começaram a me seduzir na prateleira. Mas o preço exorbitante dela me fez reservá-la para alguma ocasião muito especial. Daí que veio meu ritual.

Todo fim de semestre, quando estava na faculdade, me presenteava com uma lata de Pringles. Não que eu fosse especialmente brilhante, mas achava que a minha sobrevivência após um longo e cansativo semestre era algo a se congratular. Uma vez não havia Pringles no mercado, só Stax e uma outra imitação. Mas não. Pringles é Pringles. Por isso que comprei na loja de conveniência e gastei quase R$10.

(a propósito, eu adoro falar: Pringles, Pruin-gous, algo assim, fica bonito. :P)

Kinder Ovo

Sou do tempo em que as crianças podiam colecionar brinquedos de Kinder Ovo sem causar um rombo no orçamento familiar. Era R$1, em alguns lugares até menos. Obviamente que a gente não tava nem aí pro chocolate, queria saber do brinquedinho. E, ao contrário de muitas pessoas, eu não ficava chateada quando tirava um quebra-cabeça.

Pode ser que esteja ficando velha, mas quando vejo fotos das surpresas atuais as acho um tanto medíocres. Mesmo assim, hei de comprar um dia, só pra me lembrar do histerismo que nos acometia antes de abrir o ovinho de plástico.

Aliás, alguém lembra de um "primo" do Kinder Ovo, cujo nome não me fugiu, em que o ovinho do brinquedo era laranja, e não amarelo, e o rótulo era verde? Lembro que havia uma coleção do Rei Leão, eu tinha a Nala e o Timão.

Leite Moça

Sou uma pessoa facilmente seduzida pelo marketing. Me contento com um leite condensado qualquer, pra comer puro ou com sucrilhos, mas eu ainda quero uma lata de leite Moça. Ou aquele tubinho. Tipos, é a marca, sabe cumé.

Leite condensado é um ramo em que marcas baratas ainda satisfazem. Mas isso não acontece sempre. Band-aids, por exemplo. Tem que ser O Band-Aid propriamente dito. Porque uma vez eu tinha um machucado na sola do pé, comprei o tal de Salvelox, depois de três passos havia mais curativo na minha sandália do que no meu pé. Aquele troço só serviu pra grudar sujeira no meu pé e na minha sandália. Não recomendo.

Sorvete Häagen-Dasz

Eu tenho o conceito, por vezes falso, de que coisas pequenas e caras são gostosas. E quando vejo esses potes de sorvetes minúsculos e exorbitantes, não deixo de achar que devem ser deliciosos. Depois que os vi, deixei de achar que sorvetes da Kibon, por exemplo, são exorbitantes.

Consumi apenas uma vez, acho que foi a versão com cookies. Não me lembro direito em que oportunidade comprei, mas tenho quase certeza que foi depois de alguma etapa do TCC. Quem já passou por isso sabe que Pringles não é suficiente pra comemorar uma etapa vencida.

Sopa Campbell's

Sou fã incondicional da Pop Art, Andy Warhol é um dos homens da minha vida. A maneira com que ele retrata coisas do cotidiano me encanta e blás.

Obviamente que sou inteligente o suficiente para supor que a sopa Campbell's é vendida em algum lugar dos Estados Unidos. Mas não imaginava encontrá-la tão facilmente ao meu alcance, na seção de importados do mercado.

Meus planos eram de comprá-la e converter a sua lata num bonito porta-canetas. O problema que uma mísera latinha custa quase R$10 e eu não gosto de sopa. Teria que encontrar alguém que quisesse tomar a sopa, já que minha mãe me proibiu de a comprar pra jogar fora, e eu também ficaria com remorso.

Fiquei tentada também a comprar o catchup Heinz, o que será um pouco mais fácil, já que gosto de catchup.

Claro que tenho sonhos de consumo de verdade, como uma caixa de markers e um Monopoly dos Simpsons, mas isso ficará para outro dia.

Ir para o topo