O Guia dos Nerds das Galáxias - A Religiosidade em Star Wars

Bom dia, nerds, designers e pessoas das melhores estirpes que freqüentam esse blog! Estava eu sem muita idéia do que fazer, pois queria aproveitar minha última semana de férias pra dar uma relaxada. Então pensei em falar sobre Guerra nas Estrelas! Sim, sobre Star Wars! Mas não somente falar sobre o tema, pois eu sei que vocês todos conhecem muito bem (até quem não gosta conhece – e, incrivelmente, existem pessoas que não gostam, eu conheço ¬¬). Então resolvi mudar o foco do assunto e explicar pra vocês um pouco mais da saga, dando aquela resumida básica para entender melhor, com algumas curiosidades e, principalmente, como George Lucas fez uma tremenda analogia cristã na série. É, Star Wars é extremamente religioso.

Ah, só para constar, não estou querendo converter ninguém e nem dando a minha opinião religiosa, apenas falando o que eu percebi ao longo da série. Então, vamos lá, e que a força esteja com vocês!

Quando se diz “o universo de Guerra nas Estrelas”, pode ser entendido de forma ambígua, como o universo contextual do filme, incluindo história, personagens e etc, ou, literalmente falando, o universo, espaço sideral e galáxias em si. Mas o foco seria a primeira explicação dada que, afinal, explicará a segunda forma.

Pela lógica, Guerra nas Estrelas se passa em um passado longínquo, de eras atrás,  em uma galáxia extremamente distante da nossa. Isto é explicado pela frase introdutória de todos os filmes, “A long time ago, in a galaxy far, far away...”, que significa “Há muito tempo atrás, em uma galáxia muito, muito distante.”. Partindo da teoria que o universo é infinito e que há milhões de galáxias com milhões de planetas e sistemas solares, há então várias formas de vida e diferentes civilizações, cada qual com seu avanço tecnológico e moral. A galáxia principal, cenário dos 6 filmes, não possui nome, é chamada simplesmente de “A Galáxia”, tem 120,000 anos luz de diâmetro, com um buraco negro no centro, e possui mais sete galáxias-satélites menores ao seu redor.

Há aproximadamente 400 bilhões de estrelas, e por volta de 200 bilhões possuem planetas que suportariam seres vivos. 10% dos planetas desenvolveram vida, enquanto 1/1000 desses planetas geraram vida inteligente, que seria por volta de 20 milhões de planetas. A estimativa é de 100 quadrilhões de espécies distintas. Há por volta de 27 formas majoritárias de governo, sendo estes sempre interplanetários e alguns intergalácticos.  As três maiores formas de governo, que ao menos são as mais focadas nos filmes, são: a Aliança (Federação Galáctica das Alianças Livres), o Império (Império Galáctico) e a República (República Galáctica), esta última tornando-se o Império Galáctico após uma série de tramas e enganações políticas. É comum que os Jedi atuem em nome da Aliança, enquanto os Sith pertencem ao Império – sendo que durante a existência da República, os Jedi atuavam em nome dela.

George Lucas quis representar criando o vasto, complexo e completo universo e galáxia de Guerra das Estrelas para contar a história de Anakin Skywalker, garoto Jedi que seria ele o homem de uma antiga profecia, que diz que ele destruiria os Sith e traria equilíbrio para a Força. Mas isto envolve uma longa trajetória de lutas, aprendizado, emoções e sangue. George Lucas iniciou a série de filmes a partir do episódio IV, Uma Nova Esperança. Conta como o jovem Luke Skywalker, habitante do desértico planeta Tatooine, descobre com a ajuda de um velho Jedi, Obi-Wan Kenobi e de dois andróides, C-3PO e R2-D2, que é usuário da Força e é convidado a treinar e se aliar à Aliança que luta contra o Império. Com isso segue o rumo do filme e dos outros dois, O Império Contra-Ataca e O Retorno de Jedi.

Luke descobre que é filho do segundo mais perigoso vilão da galáxia, Darth Vader (que significa Pai Obscuro, do inglês “Dark Father”) e irmão da princesa legítima da antiga República, Leia Organa. Originalmente se pensa que a série de filmes tem como foco Luke Skywalker, mas ao assistir os seis filmes, vê-se que o foco é em Anakin Skywalker, pai de Luke, que se tornou Darth Vader. A moral é, resumidamente, como uma pessoa iluminada, bondosa, pode através dos pecados e dando atenção a sentimentos sem virtude como a raiva, egoísmo e, até mesmo supervalorizando a paixão, essa pessoa pode desviar do caminho e se tornar outra, totalmente diferente do que era. Mas, ele também mostra que tudo pode mudar novamente, com força de vontade e humildade, o caminho espinhento e tortuoso, com certo sacrifício, a pessoa pode voltar a ser “iluminada” e seguir o que havia originalmente planejado.

Novamente, de forma resumida, esta seria a história de Anakin Skywalker: menino bondoso treinado pelas forças do bem, com grandes expectativas de tornar o mundo um lugar melhor, que ao crescer e conhecer o amor, sucumbe à paixão e ao ódio, dando lugar ao egoísmo, assim, deixando de lado o altruísmo; ele luta para não dar ouvidos aos pensamentos e sentimentos errados, mas o lado negro da Força é convidativo e ambicioso, e ele cai em tentação, sendo quase dizimado pelas forças do bem que tinham fé nele.

[caption id="attachment_3666" align="aligncenter" width="300" caption="O Lado Negro é poderoso!"][/caption]

Com o passar dos anos, o antigo senador da República, Palpatine, que se mostrou o mais perigoso Sith de toda a história, Darth Sidious, tendo escondido o lado negro até mesmo de Yoda, este tido como o mais hábil Jedi já existido, toma conta da República usando os Storm Troopers (os piores atiradores de toda a galáxia), um exército quase infinito de clones do mais perigoso mercenário da galáxia, Jango Fett, pai do odiado Boba Fett (que na verdade é um clone dele também, mas criado como um filho) e acolhe Anakin Skywalker, dando-lhe uma armadura biônica para que possa sobreviver.

Assim segue o rumo da galáxia, com o Império conquistando e destruindo planetas, angariando forças para combater a Aliança, a única forma de governo que bate de frente com eles, e Anakin, agora conhecido como Darth Vader, é o arauto negro das forças do mal. Sentindo distúrbios na Força, percebe que há um garoto prodigioso que poderia ser um perigo, pois o Império havia devastado praticamente todos os Jedi da galáxia, salvo por dois ou três que se escondiam muito bem; então começa uma luta de poder e Vader tenta trazer o garoto prodigioso, que é seu filho, Luke Skywalker, para o lado negro da Força, mas não consegue. Vader então sente seu coração em dúvida, sobre ajudar o filho ou continuar ao lado do Imperador. Mas, no fim, seu coração decide o que é mais justo e mata Darth Sidious com as próprias mãos jogando-o direto para o reator da Estrela da Morte, mas, não sem antes ser ferido mortalmente pelos poderosos raios de Palpatine.

[caption id="attachment_3668" align="aligncenter" width="375" caption="Me desculpem, mas não poderia deixar passar essa!"][/caption]

Ou seja, Guerra nas Estrelas possui uma moral primariamente cristã, que fala de como os pecados e banalização dos sentimentos podem desviar o caminho do ser iluminado, mas que, no final, sempre há a possibilidade da redenção tardia de seus pecados, mas não sem algum sacrifício.

E claro, como posso esquecer-me do artefato mais amado dos nerds de todos os tempos? O que ele tem a ver com a religiosidade? Qual o papel do sabre de luz nessa odisséia cristã espacial? Ele poderia ser representado como a Bíblia, e até mesmo como a cruz ao mesmo tempo, o código de força e moral que representa a fé cristã, o artefato-símbolo do poder que significa força de vontade e perseverança, estes alimentados pela , esta que seria exatamente a Força, que impele os iluminados a pregarem o bem e a justiça divina.

Por último, quer coisa mais cristã do que os chamados force ghosts? Sim, quando os Jedi aparecem como fantasmas depois de mortos, representando o retorno, tal qual Jesus depois de ser morto na cruz.

Bem, é isso, espero que tenham compreendido, concordado ou discordado de minha teoria. Mas é bom pensar nisso para gerar discussões e, se você for extremamente anti-religioso, estragar o seu mundo de Star Wars! Mwahahaha!!! Tá, brincadeira.

Até semana que vem! o/

Ir para o topo