iHeaven

Não faço a mínima ideia de como começar esse texto, sério mesmo. Eu cresci sabendo quem era Steve Jobs, cresci sabendo o que era a Apple, cresci brincando em um Macintosh. Aliás, eu devo 80% do meu conhecimento a esse cara e a esses computadores.

Perder Steve Jobs é como perder um primo, um irmão e um amigo. Sabe aquele seu primo que te ensina tudo? Aquele que você admira e que te ensina as coisas mais legais do mundo? Esse era Steve pra mim.

A dor de perde-lo é tão grande que chega a doer, mesmo. Parece idiotice, eu sei, mas tem algo nesse grande homem que faz cada um de seus MUITOS macfags se identificarem com ele.

Talvez sua simplicidade, talvez o seu perfeccionismo... mas não era um perfeccionismo chato, era um perfeccionismo legal, sem medo, sabe? Um perfeccionismo do tipo: “Vamos fazer isso, se ninguém gostar foda-se! Mas vamos fazer foda ao extremo, para ninguém poder falar uma palavra de algo errado”.

O espírito de Steve era algo MUITO superior a mais de metade da população do mundo. Ele conseguiu fazer crianças grandes e pequenas sorrirem ao ver Toy Story, Up, Procurando Nemo e vários outros filmes da inovadora Pixar. Com uma visão além do normal numa época em que histórias profundas e complexas para crianças não eram valorizadas.

No momento, só temos a agradecer a tudo que ele fez pelo mundo da tecnologia, das artes, dos livros, da música e das animações e deixar todo o nosso apoio e carinho para sua esposa Laurene e seus filhos. Todos os corações dos macfags estão com vocês, dando o máximo de apoio e amor.

Nos resta agora pegar todo o seu legado e usar principalmente o que Steve mais prezava, e que ele prezava tanto que virou o lema da Apple: Think Different.

Deixou um buraco gigantesco em nossos corações, mas preencheu nossos cérebros com cultura e informação do mais alto nível, um nível tão alto quanto o desse ser que nos deixou ontem, mas que sempre, sempre estará conosco!

Steve Jobs 1955 - 2011

Ir para o topo