HANDS ON: Nintendo 3DS por Felipe Maia

HANDS ON: Nintendo 3DS por Felipe Maia

Fala pessoal, hoje temos um review bacana para vocês, como vocês sabem, o novo portátil da Nintendo chamado 3DS já está no mercado internacional e algumas pessoas no Brasil já importaram o aparelho para ter essa belezinha em mãos.

O grande amigo Felipe Maia, programador da Manifesto Games (Recife/PE), acabou comprando o aparelho dele algumas semanas atrás e ele se ofereceu para fazer um hands on do 3DS para vocês e é isso que segue abaixo para a gente conferir.

HANDS ON: Nintendo 3DS por Felipe Maia

Dei a sorte de a viagem da minha parentada para NY coincidir com o lançamento do 3ds e decidi compra-lo pelo módico valor de US$ 250 + impostos (NYC paga imposto).

HANDS ON: Nintendo 3DS por Felipe Maia

Nunca tive um DS, meu ultimo portátil foi um PSP (muito bom por sinal) e há muito tempo atrás tive um game boy color. Decidi comprar o 3ds mais pelos jogos do que pelo sistema em si, embora os jogos de lançamento não surpreenderam muito. A oportunidade era boa e daqui a pouco eu vou jogar Zelda: Ocarina of TIme 3d.

Enfim, chega de enrolação e vamos às opiniões. Primeiro vamos falar da tela 3d. Pelo pouco que eu peguei num DS, a tela 3d (superior) do 3ds é maior e apresenta qualidade de imagem melhor. A tela touch screen acredito que não sofreu muitas mudanças, mas é melhor não fazer comparações sem base.

A tela 3d possui um seletor de "profundidade", selecionando quanto 3d a imagem vai ficar, bem parecida com o seletor de volume. O efeito 3d sem óculos funciona muito bem, mas força sua cabeça a ficar numa posição fixa em relação a tela, qualquer mudança pequena no angulo ou até na distancia pra tela, e a imagem fica desfocada e confusa, o que acontece frequentemente em alguns jogos que utilizam o giroscópio (também novidade no 3ds).

HANDS ON: Nintendo 3DS por Felipe Maia

Se você conseguir manter sua cabeça fixa, o efeito 3d realmente dá muita profundidade aos jogos, mas até o momento, só de maneira estética. Usar o efeito 3d não faz você ser melhor no jogo, só deixa os jogos mais agradáveis e bonitos. Vale lembrar porém que efeitos 3d ainda são muito recentes (principalmente sem óculos), e cansam bastante a vista e podem inclusive causar problemas a seus olhos, o manual indica descansar pelo menos 10 minutos a cada 30 minutos jogados.

Continuando nas novidades, o 3ds tem 3 cameras, uma virada pra você, e duas viradas para fora, permitindo tirar fotos 3d, que funcionam muito bem por sinal. Além disso, o 3ds ganhou um novo stick analógico, muito superior ao do PSP, mas ainda longe de se comparar com os do PS3 ou 360. Esse stick funciona com os jogos antigos do DS, e como forma de avaliação, dá pra jogar Super Street Fighter IV muito bem.

O posicionamento dos botões no 3ds, porém, não é nada usável/confortável por minhas grandes mãos, isso realmente deixou muito a desejar no 3ds. Eu não consigo manter minhas mãos numa posição confortável o suficiente que seja possível utilizar todos os botões (a,b,x,y,r,l).

HANDS ON: Nintendo 3DS por Felipe Maia

Para ter acesso a todos esses botões minha mão fica numa posição extremamente desconfortável e em 5 minutos já está doendo bastante. Isso realmente é um pouco difícil de resolver, visto que o 3ds é muito pequeno, só temos que rezar para que os desenvolvedores atentem-se a esse fato e que façam uso inteligente dos botões mais acessíveis e do touchpad. Infelizmente no SSF:IV, não há escolha, se eu quiser fazer combos, minhas mãos têm de ficar numa posição desconfortável.

O 3ds tem duas novidades incomuns aos outros portáteis, ele vem com um pedômetro, que rastreia quantos passos você deu enquanto caminhava por ai com ele, e ele usa conexão wireless para se comunicar e trocar informações com outros 3ds, chamada StreetPass (o 3ds precisa estar ligado ou em modo sleep para funcionar). Basicamente essas funções tentam sugerir que você leve o 3ds com você para lugares onde você encontre outras pessoas com 3ds.

HANDS ON: Nintendo 3DS por Felipe Maia

O jogo/aplicação StreetPass Mii Plaza utiliza essas features para trocar personagens com as pessoas que você encontrar. Ao se encontrar com outro 3ds, você poderá utilizar o mii daquele 3ds para jogar o jogo. Ao caminhar, o pedometro monitora seus passos e você ganha moedas que pode utilizar no jogo. Essas funções tentam forçar você a socializar mais, caminhar por onde existam muitas pessoas. Se você não fizer isso, nem é possível utilizar a aplicação a contento (coisa que não pude fazer devido a raridade do 3ds por aqui). No momento, até onde eu sei, somente esse jogo utiliza-se dessas funções com tal principio, porém no futuro muitas aplicações devem utilizar essas features e forçar o jogador a "socializar".

Além do StreetPass Mii Plaza, o 3ds vem com outras duas aplicações jogos: O Face Raiders que utiliza as cameras para tirar fotos suas e de seus amigos, criando então uma legião de inimigos com seu rosto que devem ser derrotados utilizando o giroscópio, movendo e girando o 3ds para mirar, demo muito, muito legal e divertido, e que todos devem testar se conseguirem por a mão no 3ds.

E o AR Games, que utiliza-se da camera 3d e de cartões marcadores de realidade aumentada (que vêm com o 3ds) para mostrar objetos virtuais em seus ambientes. Essa aplicação eu ainda não tive tempo de testar. Além dessas duas, temos também as aplicações web (shop, etc), o Activity Log, que diz o que você fez a cada dia (mais interessante com o pedômetro e o StreetPass).

HANDS ON: Nintendo 3DS por Felipe Maia

Quanto aos jogos, eu decidi pelos mais aclamados pela crítica, Super Street Fighter IV, com gráficos mais vivos devido ao 3d, e que não deve em nada para a versão console (exceto pela configuração dos controles que já falei), indicando que teremos jogos muito "potentes" a caminho, e pelo turn based strategy Tom Clancy's Ghost Recon: Shadow Wars, que me parece ótimo de jogar quando se está naquela fila de meia hora em algum canto (ainda não joguei o suficiente para ter uma opinião concreta). Também comprei o recém lançado Pokemon White, que apesar de ter saido do forno agora, é para o ds antigo e não suporta nenhum tipo de visualização 3d.

Minha opinião? Se você tem o dinheiro sobrando e quer um bom portatil para gamer, o 3ds, apesar de caro, é ótimo. Se você não tem o dinheiro sobrando, vale muito a pena esperar jogos melhores como Zelda e Mario lançarem para então decidir gastar os 250 dolares (1000+ reais no Brasil, o preço deve se manter por no mínimo 1 ano).

O Nintendo 3DS merece 4 cogumelos de recomendação:

o 3DS vale muito a pena :)

o deixadenerdice agradece ao amigo Felipe Maia por esse post bacana sobre o 3DS e para trocar uma ideia com ele é só dar follow no twitter:

@TheFelipeMaia

Ir para o topo