Design para Todos: Projeto final - final mesmo?

Design para Todos: Projeto final - final mesmo?

Finalmente último período. Chegar até ele foi dureza. Milhões de trabalhos, freelas, tempo para estagiar, tempo para fechar todos os trabalhos do semestre, muitas horas de sono perdida, muitos cafés tomados, muitas noites viradas e muitos “nãos” para fins de semana.

O projeto final chegou!

Hora de definir tema, escolher orientador... Desesperador? Nada que algumas dicas possam dar uma força no tão temido momento de finalizar a graduação.

Antes de mais nada, algumas coisinhas que você precisa saber:

 

Tema

Pelo amor do pai do céu, não invente de optar pelo que você acha mais fácil porque está com preguiça de fazer mais coisas ou gastar menos. Você vai sim gastar com o projeto final (nem que seja com 1500 impressões de layouts), você vai sim ter que abrir mão de algumas coisas para concluí-lo e você vai sim ter que fazer muitas coisas.

Escolha um tema que você se identifique. Se você não gosta de Capoeira, não invente de fazer qualquer coisa relacionada a capoeira, você vai ficar de saco cheio de ver tantos tambores e berimbaus na sua frente que está arriscado desistir no meio do caminho.

Design para Todos: Projeto final - final mesmo?

Sustentabilidade

Entendemos a importância da sustentabilidade e de ser sustentável no mundo que vivemos, mas inventar sustentabilidade onde não tem ou então é forçar a barra demais. O projeto acaba não saindo. Ou ainda usar esse tema. Está batido.

Ah vou fazer um site” ou “ah vou fazer um livro

Meus caros amiguinhos, antes de qualquer coisa: PARE, sim, pare de pensar em produto final. Na verdade um site ou qualquer peça que você criar será uma necessidade que você vai sentir conforme seu projeto for fluindo.

Lembro que na minha turma de TCC no primeiro dia de aula logo que perguntados sobre temas que fariam, os alunos já começavam: “Meu tema é Brasil (exemplos fictícios) e vou fazer um site”. Acho válido você querer fazer algo que acha que se sairá melhor, caso tenha conhecimento de web, mas nesse tipo de afirmativa, acredito eu, que será tão focado no operacional que a defesa desse projeto ficará duvidosa.

O mesmo é válido para “vou fazer um livro”. Tem quem ache que o gasto é menor e será apenas diagramar um livro. Não, você terá um enorme trabalho de fazer pesquisa tipográfica, estudo de mancha gráfica, estudo de papel, estudo relacionado ao seu tema, briefing, etc, etc e etc (não necessariamente nessa mesma ordem).

Adoro desenhar logos

Desenhar um logotipo pode fazer ou não parte de um sistema de identidade visual, portanto só amar desenhar logotipo não será suficiente. Nesse tipo de projeto inclui você fornecer também as especificações técnicas, um manual de identidade, versões, cores e etc.

Casos reais

A partir do momento em que você consegue enxergar seu trabalho e a função do designer na sociedade as possibilidades aumentam para o seu lado. No seu bairro, no seu ambiente de trabalho, na sua família, no seu grupo de amigos pode surgir um bom projeto.

Trabalhar em cima de algum projeto já iniciado ou que se tem vontade (e investimento) para que ele saia do papel pode ser uma boa alternativa de você fazer um projeto relevante não só para a sua carreira, mas de ganhar visibilidade. Ser designer é isso, é quase ser um pouco empreendedor. Felizmente conseguimos atuar em muitas áreas.

Reforçando o post, abaixo algumas dicas da Dani B (e algumas minhas)

Design para Todos: Projeto final - final mesmo?

1) Faça o possível pra escolher um tema que você seja apaixonado. A Dani conseguiu convencer a banca de que roupas pra nerds eram importantes e eu, bem, eu dei chocolates para todos que assistiram minha banca. Meu projeto era sobre chocolate. Trabalhei com reposicionamento da marca de chocolates caseiro de um amigo.

A coisa fluiu tão bem que acabou saindo embalagens, identidade visual e como abrir uma pequena empresa de chocolates caseiros.

2) Durante a apresentação, foque no que você sabe. E para distrair a atenção da banca passei um mês fazendo a diagramação do dossiê, porque eu adoro, e fiz as ilustrações correndo em um dia, porque ODEIO desenhar.

3) Faça backup dos dados frequentemente, e em todas as mídias possíveis (eu gravei em CD, salvei no pendrive e guardei rascunho no e-mail);

4) Google Docs. Por incrivel que pareça, ele me ajudou em muitos momentos. Qualquer lugar com internet e acesso a ele era um adianto. Planilhas, textos, criação de pesquisa quantitativa, apesentações e etc. Tudo isso nessa ferramenta gratuita.

5) Programas portáteis. Ás vezes você necessita alterar algo na correria e tê-los num pen drive salva. E eles não precisam ser instalados. Você pode baixar alguns aqui , aqui e aqui (100 programas para pc e mac).

6) Redes sociais. Use e abuse delas para suas pesquisas, especialmente sobre temas que envolvam gostos.

7) Sei que muita gente já migrou para o Facebook, mas modero uma comunidade no Orkut (coisa que começou na época do meu projeto e busca por informações) sobre TCC exclusivamente de design. De vez em quando as pessoas recorrem a alguma ajuda a ela. Você pode conferir aqui.

8 ) Leia até mesmo sobre coisas que não tem o seu tema explicitamente.

9) Busque referências visuais reais, dia-a-dia e cotidiano. A internet hoje nos favorece muito, mas não esqueça de observar as coisas ao seu redor.

10) E por fim, salve o arquivo que você estiver trabalhando a cada 5 minutos (principalmente se for no Corel).

Por fim, o teu projeto final deve ser algo consistente, com muita pesquisa (sim, você futuro designer fará isso por muitas vezes na sua vida) e boa defesa. Acima de qualquer coisa não pense apenas no produto final. Ele é mera consequência de toda sua pesquisa e percepção das necessidades que irão surgindo.

Ir para o topo