Design & Doce de Leite: Gadgets Musicais

Falar de produtos semanalmente vai ser sempre um parto para mim! Até pegar o hábito e treinar a criatividade (que se fundiu no meio do Projeto de Graduação), vamos andando pelo caminho mais simples que é o dos preferidos.

Gadgets: mais comumente conhecidos como tralhas tecnológicas, são na verdade definidos como produto tecnológico que tem propósito e uma função específica, prática e útil no cotidiano. Gadgets normalmente possuem característica social de status, por serem produtos de alta tecnologia seu preço costuma ser elevado, e seu público consiste em pessoas muito “íntimas” com este tipo de tecnologia. Normalmente são projetados para um público bem característico, que têm hoje entre 15 e 35 anos (alguns mais outros menos) e fazem parte da geração que possui uma cultura unificada ao redor do mundo. Característica que surgiu justamente na intimidade que essas pessoas têm com a tecnologia e os meios de comunicação. O que faz com que cada produto lançado seja muito facilmente aceito ou recusado no mercado mundial.

No caso dos gadgets musicais, sua função normalmente gira em torno de ampliar o sentido da música, trazendo outros efeitos além do som. Como o Tengu, que é um dispositivo USB que tem a função de fazer companhia ao usuário, ele projeta uma expressão facial de acordo com o humor da música e movimenta sua “boca” de acordo com a letra.

Tengu branquinho. Também tem a versão dele preto.

Outro (literalmente) fofíssimo é o MU SPACE, mp3 player em forma de maletinha, que pode ser usado normalmente fechado, mas que quando aberto vira um colchão com travesseiro e as caixas de som bem pertinho dos ouvidos, ideal para fazer um som ambiente, onde err... você não pode ter controle do som. Pena que é apenas um projeto conceito.

Imagem do MU SPACE aberto e pronto para o uso

Outro produto conceito, mas que dessa vez eu torço para que não chegue a ser vendido, é o Cymatics, mixer de alimentos que vibra de acordo com a música, fazendo com que a farinha que você está peneirando crie padrões de forma.

Cymatics: já que tudo que você precisa na sua vida, é que sua comida vibre como sua música.

Voltando para produtos comerciais, o Disco Cube iPod Dock da IXOS possui sistema de iluminação que funciona de acordo com o ritmo da música, bem 70’s fever. E com ele é possível sincronizar e carregar o seu aparelhinho (que também é compatível com qualquer mp3 player).

Ah, ha, ha, ha, Stayin' alive!

Enquanto alguns eu preciso juntar grana pra comprar o gadget, outros eu precisaria fazer o investimento também em ter uma banheira ou piscina em casa. O XA-Aw33 da JVC é um mp3 player de banheira, que forma ondas de acordo com a música que está tocando e emite luzes.

Imagina ele tocando Supermassive Black Hole (Muse).

Agora, inquestionavelmente, o que mais me chamou atenção é o i-Dog Dance, essa coisinha fofa que pisca luzes e dança de acordo com a música. Além do básico, ele tem sua própria personalidade. Quando é pela primeira vez tirado da caixa, ele vem no modo puppy, ao longo do tempo, as músicas que seu dono escuta vão levando a ele os traços de sua personalidade, de modo que ele pode ser triste, feliz, agressivo, agitado, etc. E quando está com fome, ele sinaliza para seu dono que quer seu alimento, a música.

Coisa fofa, quem não gostaria de ter um cachorro que dança Lady Gaga.

No fim das contas, podemos ficar dias e mais dias discutindo porque esses produtos, com necessidade tão questionável são objetos tão desejados. Ninguém vai morrer sem luzes coloridas ou ondinhas na banheira, mas ainda sim eles são procurados. Para quem gosta de pensar nesse assunto, indico a leitura do “Design Emocional: Por que adoramos (ou detestamos) os Objetos do Dia-a-Dia” do Donald A. Norman.

E para terminar, digo que o OhMiBod que falei na semana passada também pode se enquadrar nessa categoria, porque não? E aí, já animou de comprar um?

Ir para o topo